O serviço de monitoramento é uma maneira simples de garantir privacidade, segurança e independência ao usuário. Funciona através de um console ligado à rede telefônica e de um pingente com botão de emergência. Se acontecer algum incidente, o usuário aperta o botão e, imediatamente, um profissional da Central de Monitoramento entra em contato. Se necessário, o atendente informa um médico pessoal, um familiar ou o serviço de emergência. O que muita gente não sabe, é que além de beneficiar o usuário e tranquilizar os familiares, o serviço pode ajudar médicos que queiram diminuir os riscos do paciente dentro de casa, agilizando o socorro em caso de emergência. Veja como alguns médicos podem se beneficiar com o monitoramento pessoal:

Cardiologista

Mais de 80% das paradas cardíacas ocorrem dentro de casa. Quando o incidente acontece, é difícil correr até um telefone ou gritar por ajuda. Ainda assim, o atendimento rápido é essencial, já que em 5 minutos 50% dos indivíduos com parada cardíaca morrem. A partir daí, 10% morrem a cada minuto que passa. É importante garantir que o paciente com fatores de risco, como idade avançada, obesidade ou hipertensão arterial, vai ter assistência caso ocorra alguma emergência. Mesmo com a mobilidade restrita, é muito fácil apertar o botão, que é à prova d’água e está sempre junto à pessoa. O sistema é mais prático do que utilizar um aparelho celular e esperar que a outra pessoa atenda para pedir ajuda, por exemplo.

Geriatra

Atualmente, quase 4 milhões de idosos moram sozinhos, segundo levantamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNADs), do IBGE. Além disso, muitos outros passam boa parte do dia sem a companhia de ninguém, mesmo morando com familiares. Nesse contexto, é essencial garantir que o idoso vai ser atendido com rapidez caso aconteça um acidente. Principalmente em casos de fragilidade, como doenças crônicas. O serviço de monitoramento garante independência e privacidade ao mesmo tempo que protege o paciente de possíveis danos mais graves e consequências irreversíveis da falta de atendimento. Nos Estados Unidos e em muitos países da Europa, os serviços de saúde já fazem a prevenção de quedas distribuindo equipamentos semelhantes para os idosos carentes. Apenas há poucos anos o Brasil começou a receber empresas que trabalham com a tecnologia, mas o serviço já está disponível em todo o país.

Ortopedista

Após uma lesão ou fratura, é importante que o paciente fique em repouso e se previna de outros acidentes que possam acontecer pela diminuição da mobilidade. Mas nem sempre é possível garantir que a pessoa vai estar acompanhada em caso de emergência. Por isso, em situações mais graves ou de fragilidade, é recomendada a utilização do serviço de monitoramento para garantir que o atendimento vai ser rápido. Entre a terceira idade, por exemplo, a empresa de monitoramento norte-americana Bay Alarm Medical estima que o idoso que não recebe ajuda em cerca de 5 horas tem grandes chances de ser hospitalizado e de desenvolver problemas de saúde mais difíceis de serem tratados.

Obstetra

A gravidez, principalmente a de alto risco, é uma etapa delicada na vida da mulher e do bebê. Por isso, os médicos sabem que todo o cuidado é pouco. Fatores como idade avançada, doença crônica ou debilidade do feto, merecem cautela ainda maior. Uma gestante de risco precisa de acompanhamento e assistência em todos os momentos, principalmente se ficar completamente sozinha durante muitas horas do dia. Nosso serviço de monitoramento permite, por exemplo, que a gestante deixe o número do seu obstetra no Plano de Ação. Assim, o médico será imediatamente avisado quando a paciente precisar de socorro.